Têm uma cor forte e um sabor muito característico. Os frutos do framboeseiro, deliciosos apesar do travo amargo, são muito utilizados em doces e compotas e têm uma ação laxativa e diurética. A ingestão de framboesas também é útil no tratamento do reumatismo e da gota e pode mesmo ajudar na preparação do corpo para o parto. A infusão das suas folhas não deve, no entanto, ser tomada durante os primeiros seis meses de gravidez. 

Os antigos herbários já referiam a utilização das folhas e flores do framboeseiro como remédio adstringente. Uma vez que secam, reduzem e diminuem as secreções, são usadas para combater várias maleitas, incluindo conjuntivites e diarreias. Também são usadas como elixir para problemas da boca e corrimentos vaginais, entre outros. Em tempos idos, era um fruto apreciado pelos deuses do Olimpo.

16 alimentos (saudáveis) a ter sempre no frigorífico e na despensa
16 alimentos (saudáveis) a ter sempre no frigorífico e na despensa
Ver artigo

Julga-se que possa ter tido origem nas encostas do Monte Ido na Turquia, daí a sua denominação de silva-de-ida, como os mais antigos a apelidavam. Na idade média, era muito apreciado tanto pelas suas utilizações medicinais como culinárias, sobretudo os frutos. 

O framboeseiro (Rubus idaeus) é um parente próxima da amora silvestre (Rubus fruticosus), ambas da família das rosáceas. Trata-se de um arbusto de folha caduca.

Nalguns casos, pode chegar a atingir dois metros de altura. Da sua toiça nascem todos os anos novos caules (turiões), os quais dão frutos no decorrer do segundo ano, morrendo em seguida, o caule é azul esverdeado e lenhoso de finos acúleos (picos) muito aguçados, folhas de um verde intenso na parte superior e esbranquiçada e tomentosas. Na parte inferior, as flores assemelham-se a pequeninas rosas brancas.

Os frutos, muito apreciados, são vermelhos de sabor adocicado e ácido. Este arbusto é originário da Europa, da América do Norte e da região temperada da Ásia, sendo espontâneo na Europa Oriental em florestas de planícies ou montanhas. É bastante popular na Europa do Norte, mas pouco cultivado em Portugal. Em Inglaterra, chamam-lhe raspeberry e em França, onde fabricam um licor com o mesmo nome, framboise.

Os principais componentes das framboesas

As folhas do framboeseiro, que muitos utilizam para fazer chá, contêm taninos hidrolizáveis e flavonoides. O fruto é rico em vitaminas A, B, C e E, açucares, pectina, óleos voláteis, ferro, cálcio e fósforo. A folha do framboeseiro tem uma forte ação adstringente devido aos taninos, sendo muito utilizada para combater a diarreia nas crianças.

Uma infusão forte das mesmas, uma solução a que muitos dos adeptos de mezinhas recorrem, é ainda muito útil em forma de gargarejos para tratar inflamações da boca e gengivas. Em infusão, é usado para tratar outras inflamações orofaríngeas, do trato respiratório e aparelho urinário. Em lavagens, utiliza-se para tratar conjuntivites e infeções vaginais.

O poder do framboeseiro para curar feridas e infeções

Em uso externo, serve para limpar e desinfetar feridas, infeções cutâneas e úlceras. No entanto, as principais propriedades das folhas de framboeseiro, devido a umcomponente chamado fragina, agem como tónico uterino, elastificando-o e relaxando ao mesmo tempo os seus músculos, preparando assim as futuras mães para um parto mais fácil. Deve ser tomada uma infusão três vezes ao dia a partir do sexto ou do sétimo mês de gravidez.

Nunca antes! Depois do parto, poderá continuar a tomá-lo juntamente com urtigas pois, para além de contribuírem para a produção do leite materno, ajudam no combate a uma possível anemia. Os frutos são muito utilizados em doces e compotas e têm uma acção laxativa e diurética. São também muito úteis no tratamento do reumatismo e da gota.

Na China, onde as framboesas também são muito apreciadas e consumidas, os frutos são utilizados para combater a incontinência urinária. Quem sofre de dores menstruais, deve mascar lentamente uma folha de framboeseiro ou amoreira. Para as aftas dos bébés, deve encher um vaporizador limpo com chá e pulverizar a boca do bébé.

A framboesa na culinária

O vinagre de framboesa é a melhor maneira de preservar a vitamina C e a ação terapêutica do fruto, esta receita não necessita de adição de açúcar. Para o executar em casa, o que é muito fácil de fazer, colha framboesas suficientes para encher um frasco, cubra com vinagre de cidra e coloque num local fresco durante três ou quatro dias.

De seguida, coe com um pano fino e engarrafe. Poderá tomar uma colher de chá três vezes ao dia num pouco de água morna ou utilizar em temperos. Pode também confecionar excelentes doces e geleias com os frutos do framboeseiro. Na internet e nos livros de receitas de doces, são muitas as receitas que pode fazer.

O cultivo do framboeseiro no jardim

Amadurecendo pouco depois dos morangos, as framboesas são muito apreciadas em todas as zonas onde se cultivam. As plantas bem tratadas produzirão bem durante 10 ou mais anos. Faça, por isso, o possível para as manter sempre isentas de vírus. Não as plante, por isso, junto das amoras. O fornecimento de humidade é a verdadeira chave para ser bem sucedido nesta cultura. 

Convém plantá-las no outono em países mais a sul, como o nosso. Propagam-se bem por estaca e gostam de solo quase neutro (6,5 a 7,0), quando plantadas perto da arruda esta protege-as de escaravelho japonês. Os framboeseiros desenvolvem-se bem na sombra parcial das nogueiras, sendo das poucas plantas que aceitam desenvolver-se em consociação com as nogueiras, cujas raízes são tóxicas para muitas plantas.

Texto: Fernanda Botelho

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.