O sexo pode provocar ou acabar com as dores de cabeça. Em que casos é uma solução para acabar com elas e quando deve ser evitado? É muito difícil transmitir uma mensagem muito clara quanto ao sexo. Os números relacionados com este tema apresentam muitas dualidades e estão repletos de dúvidas e interrogações. A conclusão mais frequente é que tudo depende do indivíduo e, neste caso, do tipo de dor de cabeça.

Num estudo sobre as dores de cabeça conduzida em 1998 nos EUA, uma das voluntárias da pesquisa falou abertamente sobre as suas enxaquecas e a ligação das mesmas às relações sexuais. Confessou a James Couch, professor da Universidade do Oklahoma, que tinha mais problemas com enxaquecas desde que se divorciou e deu-lhe, assim, a ideia de iniciar uma pesquisa sobre a ligação entre as dores de cabeça e o sexo.

Sexo aumenta a capacidade de memória. Mas só se o fizer várias vezes por semana
Sexo aumenta a capacidade de memória. Mas só se o fizer várias vezes por semana
Ver artigo

Foi descoberto que um processo biológico, o clímax, bloqueia o outro, a dor. A pesquisa contou com a participação de 84 mulheres. Dois terços destas mulheres iniciavam atividades sexuais apesar das enxaquecas. 61% das mulheres confirmaram que o sexo alivia a dor.

Tal nível de eficiência pode ser comparado ao efeito de algumas drogas usadas para as enxaquecas. 20% das voluntárias afirmaram aos especialistas que as entrevistaram que a enxaqueca desapareceu por completo, enquanto a taxa média de sucesso dos medicamentos é de 30%.

Os resultados desta pesquisa são semelhantes a outra pesquisa conduzida pela Escola de Medicina de South Illinois, também nos EUA, onde a ligação entre o sexo e as enxaquecas foi examinada em 52 pessoas. A dor de cabeça pode aparecer devido ao desequilíbrio hormonal, especialmente o excesso de estrogénio. As dores de cabeça femininas, tal como as enxaquecas, provocadas por desequilíbrios hormonais têm um ponto em comum.

Ocorrem principalmente durante os períodos de tensão pré-menstrual e o sexo, como garantiram muitos especialistas, nacionais e internacionais ao longo das últimas décadas,  é uma boa maneira de restabelecer esse equilíbrio. Se tiver em consideração os efeitos secundários das drogas e as contraindicações de muitos dos fármacos recomendados pelos médicos, o sexo é, em definitivo, a escolha mais saudável.

Os efeitos benéficos do sexo nas dores de cabeça

Os cientistas que têm estudado a relação entre os dois dão duas explicações para o sexo ser tão eficaz no caso das enxaquecas. Uma delas é que durante o sexo são segregadas endorfinas e outras hormonas que aliviam a dor. Imediatamente antes do orgasmo, o nível de oxitocina  aumenta até cinco vezes. As endorfinas têm um efeito suavizante em todo o tipo de problemas, da artrite às dores de cabeça.

O estrogénio nas mulheres ajuda adicionalmente a aliviar a tensão pré-menstrual, apontam ainda os especialistas. A outra explicação centra-se na estimulação dos nervos, que também aliviam a dor durante o parto, como confirmam vários estudos internacionais. Alguns são mais cépticos e dizem que o sexo só para temporariamente a dor de cabeça, mas que esta regressa pouco depois.

A dor de cabeça nem sempre é só uma desculpa

Nunca deve dedicar-se a atividades sexuais caso esteja desidratado. Um alerta que muitos especialistas fazem mas que muitas pessoas ainda não interiorizaram. A dor de cabeça que resulta da desidratação irá piorar e tornar-se mais perigosa. Além disso, o sexo não ajuda todo o tipo de enxaquecas. O professor e investigador Randolf  Evans verificou que em 10% de todos os casos, a relação sexual provoca enxaqueca.

Apesar do estereótipo de que são as mulheres que usam as dores de cabeça como desculpa, apesar de haver homens que também a usem, a possibilidade dos homens terem dores de cabeça depois do sexo é maior. A chamada dor de cabeça pós orgástica afeta cerca de 1% dos homens. Um grupo específico de homens que são afetados por dores de cabeça depois do sexo são aqueles que usam Viagra.

Como o sexo faz (mesmo) bem à saúde, como sublinham muitos especialistas e como a ciência tem conseguido comprovar ao longo dos anos, o ideal é aumentar a sua frequência. Para não cair na rotina, o ideal é adotar regularmente posições sexuais diferentes e até variar os locais que usa para o sexo, como também defendem muitos sexólogos. Se precisa de ideias, veja a galeria de imagens que se segue e inspire-se!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.