Foi um dos grandes nomes do panorama musical da década de 1980 mas a vida de excessos na fase áurea da carreira obrigou-o a afastar-se do mundo do espetáculo. William Michael Albert Broad, nascido em Stanmore, em Inglaterra, iniciou a carreira no grupo de punk rock Chelsea. Depois, transitou para os Generation X, mas foi a solo, como Billy Idol, que conseguiu os maiores êxitos. Os singles "Dancing with myself", "Eyes without a face", "Rebel yell" e "Mony mony" lideraram as tabelas de vendas.

Entre 1982 e 1993, lançou cinco álbuns de originais. Fez centenas de espetáculos e vendeu milhões de discos em todo o mundo. Em 1994, à saída de uma discoteca, em Los Angeles, nos EUA, cai inanimado. A overdose fá-lo parar. Afasta-se, então, da vida pública para se livrar das drogas e para dar prioridade à família. "Os meus filhos não me perdoariam se eu morresse", desabafaria Billy Idol anos mais tarde. As divergências que passa a ter com a editora discográfica tiram-lhe a vontade de gravar novos álbuns.

25 artistas que estavam no auge da carreira há 25 anos
25 artistas que estavam no auge da carreira há 25 anos
Ver artigo

Desde então, só lançou dois discos de originais. Em 2005, "Devil's playground", o primeiro em 12 anos, não entusiasmou os (velhos) fãs. Seguiu-se, em 2008, a compilação "The very best of Billy Idol: Idolize yourself" e, em 2014, "Kings & queens of the underground", que também não o capapultou para o êxito de outros tempos. Mais sucesso tem a autobiografia que lança nesse mesmo ano. "Dancing with myself", um livro repleto de revelações, torna-se num best seller. "Sou uma pessoa romântica e devia ter transposto esse romantismo para a minha música mais cedo", desabafa o artista.

"Mas estava, provavelmente, em negação. Não queria ser mole. Sentia que tinha de ser duro para as pessoas poderem continuar a acreditar em mim", confessa Billy Idol. Nos últimos meses, para além de participar numa campanha de defesa ambiental nos EUA, aceitou o convite de Miley Cyrus e gravou "Night crawling", um dos duetos que integram o novo disco da cantora. "Não tenho andado a fugir do meu passado", garante o artista, que é, hoje, um avô (muito) babado. Bonnie Blue, filha do cantor, foi mãe em maio.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.