Tinha apenas 16 anos quando tirou a primeira fotografia em topless. Na altura, a fotógrafa foi a mãe, a atriz Carole Ann Wilken, que lha tirou, no quarto, para enviar para um concurso de beleza promovido pelo tabloide Sunday People. Samantha Fox não ganhou mas, em mais de 20.000 candidaturas, conquistou o segundo lugar, o que lhe abriu portas para chegar à famosa página 3 de outro tabloide, o The Sun, onde apareceria com regularidade até 1986, altura em que lançou o primeiro álbum, "Touch me".

O sucesso foi imediato e, anos depois, ao longo das sucessivas votações que foram sendo feitas, a artista inglesa nunca mais saiu do topo das listas de modelos de glamour mais populares. Muitas das fotografias mais emblemáticas dessa fase da vida da cantora, que em 1996 posou nua para a revista Playboy, surgem agora no calendário revivalista para 2021 que a intérprete de "Nothing's gonna stop me now" e "I wanna have some fun" acaba de lançar e que está disponível na loja de comércio eletrónico da artista.

Para além das fotografias e de recortes de jornais da época, o novo calendário de Samantha Fox inclui mensagens personalizadas escritas pela própria artista e histórias dos bastidores das produções fotográficas que deram origem a algumas das suas fotografias em topless mais icónicas. "Estou muito entusiasmada por poder partilhar o meu passado com a minha nova geração de fãs", assume a artista, hoje com 54 anos, que, nessa época, chegou a ser uma das mulheres mais fotografadas do Reino Unido.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.