A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) desencadeou no dia 23 de março uma ação inspetiva a uma sociedade comercial de importação e distribuição na zona metropolitana de Lisboa, que associava a venda dos produtos à própria pandemia, na sequência de uma denúncia sobre eventual prática de preços especulativos.

Segundo a ASAE, a denúncia referia-se à venda de desinfetante para as mãos, vulgo "álcool gel". 

Objetos que aumentam o risco de contrair COVID-19 segundo a Direção-geral da Saúde
Objetos que aumentam o risco de contrair COVID-19 segundo a Direção-geral da Saúde
Ver artigo

"Em resultado da operação e com base na documentação analisada preliminarmente, a ASAE concluiu que o denunciado procedeu à venda de álcool gel, a preços díspares entre si, sem qualquer justificação, uma vez que a venda, durante o mês de março, oscilou entre os 25 euros e os 150 euros", informa aquela autoridade em comunicado.

O operador económico não seguia qualquer critério na definição do preço final ao cliente e foi aumentando, de forma generalizada, os valores de venda à medida que os dias passavam, em função da procura generalizada.

Entre final de fevereiro e março, os preços tiveram variações absolutas, entre o preço de compra e o preço de venda entre 48% e 490%.

"Em face de fortes indícios da prática do crime de especulação, a ASAE comunicará, nos termos legais os resultados desta operação ao Ministério Público", conclui a nota.

Como lavar bem as mãos para se ver livre de vírus e outros microrganismos?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.