Em comunicado hoje divulgado, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) refere que a fiscalização se inseriu no âmbito do combate ao lucro ilegítimo em bens essenciais para o combate à propagação da epidemia covid-19.

A ASAE instaurou um inquérito pela eventual prática crime de especulação.

A nota refere também que, desde meados de março, foram fiscalizados 280 operadores económicos, tendo sido instaurados 15 processos crime por obtenção de alegado lucro ilegítimo na venda de bens necessários para a prevenção da pandemia por covid-19, nomeadamente máscaras, luvas, fatos e produtos biocidas designadamente álcool, álcool gel e desinfetantes.

Segundo a ASAE, foram detetadas situações em que a obtenção ilegítima de lucro “chega a ultrapassar, nalguns casos, os 1.000%”.

Aguardam conclusão de análise documental cerca de 25 situações.

Através do formulário https://www.asae.gov.pt/denuncias-covid-19-.aspxt, a ASAE já recebeu cerca de 3.820 denúncias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.