No decorrer dos últimos anos verificou-se um aumento da esperança média de vida, o que originou uma maior preocupação com os cuidados de saúde de forma a melhorar a qualidade de vida na população idosa.

O envelhecimento é acompanhado de perdas biológicas e alterações complexas, sendo que em muitos casos pode levar os idosos à dependência de terceiros na realização de tarefas da vida diária. Para prevenir a dependência é importante que o idoso se mantenha ativo tanto a nível físico como a nível cognitivo.

Em 2016, a Organização Mundial de Saúde (OMS) definiu o envelhecimento saudável como “o processo de desenvolvimento e manutenção da capacidade funcional que permite o bem-estar em idade avançada”.

A fisioterapia apresenta um grande contributo para o envelhecimento saudável, facilitando este processo, tendo como objetivo a manutenção e/ou restauração da função e capacitando a atividade e independência do idoso.

Na Fundação AFID Diferença, os fisioterapeutas trabalham centrados no cliente, capacitando-o para que se mantenha sempre autónomo nas suas atividades do quotidiano.

Para tal, realiza-se uma completa avaliação inicial subjetiva e física, tendo em conta os objetivos e as expectativas do cliente perante a fisioterapia. No Centro de Medicina Física e Reabilitação (CMFR) e na Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI) da Fundação são realizados tratamentos de fisioterapia do foro músculo-esquelético, cardiorrespiratório e neuromuscular. O CMFR inclui um ginásio, uma sala de eletroterapia e uma piscina onde são prestados cuidados de hidroterapia.

Fundação AFID
créditos: AFID Diferença

Com a chegada do verão é possível aproveitar mais os espaços exteriores. Na ERPI da Fundação AFID, existe um amplo jardim e um terraço no primeiro andar que possibilitam o trabalho ao ar livre. Deste modo, quando estão reunidas as condições favoráveis, os clientes realizam os tratamentos de fisioterapia no exterior do edifício, o que trás benefícios ao nível físico e psicológico.

Relativamente ao físico, permite realizar uma maior variedade de atividades, adaptando os clientes à sua vida quotidiana, pois é possível ter ambientes que proporcionam exercícios mais exigentes, podendo ser estabelecidos objetivos mais ambiciosos.

Normalmente, são realizados exercícios de mobilidade, fortalecimento muscular, treino de equilíbrio e marcha, correção postural, entre outros. No caso de clientes mais dependentes existem instalações e materiais adequados para o seu tratamento, e que permitem, também, realizar tratamentos de eletroterapia.

Nos dias de hoje, devido ao confinamento e à ausência de visitas, é essencial ter um espaço exterior com condições, onde aproveitamos ao máximo para alegrar e distrair os nossos clientes. É muito importante referir, nestas atividades exteriores, os benefícios do sol que para além de ter um grande contributo positivo a nível psicológico, tem também um papel determinante na produção da vitamina D que é essencial para o ser humano.

Esta vitamina normalmente encontra-se em défice nos idosos, por vezes, devido à diminuição da exposição solar, à escassa ingestão de vitamina D e ao decréscimo da capacidade da pele em sintetizar a mesma. Assim sendo, é indicada a exposição solar moderada por períodos recomendados de 15 minutos, evitando as horas de maior calor. O défice de vitamina D está ainda associado ao aumento do risco de fratura nos idosos.

Para além disto, também pode estar relacionado com inúmeros distúrbios de origem músculo-esquelética, doenças cardiovasculares, inflamações, doenças infecciosas, diminuição da força muscular dos membros inferiores e consequente decréscimo no desempenho físico.

Assim sendo, a condição física do idoso durante o Verão tende a ser melhor. Todavia, é importante mencionar que o calor contribui para o aumento do número de pessoas que dão entrada nos hospitais, durante esta época, devido a problemas renais e respiratórios.

Para que tal não aconteça, é importante ter cuidados acrescidos para com as pessoas idosas, não esquecendo estes cuidados durante o tratamento de fisioterapia, principalmente quando o tratamento é realizado no exterior. A fisioterapia deve ser realizada nas horas de menor calor com roupas leves e confortáveis que permitam fazer os exercícios eficazmente, utilizar materiais de proteção solar, respeitar e avaliar a fadiga do idoso e proceder a uma hidratação frequente.

A hidratação é de extrema relevância pois a sensação de sede nos idosos muitas vezes encontra-se diminuída e é habitual demonstrarem recusa em ingerir líquidos. Deste modo, é muito importante insistir na ingestão de água de forma a prevenir complicações graves de desidratação e consequentes internamentos.

Em suma, o Verão traz benefícios a nível físico e psicológico do idoso, no entanto, é muito importante ter cuidados acrescidos de forma a evitar problemas que possam surgir devido ao excesso de calor.

Texto: Vanessa Vasco, Fisioterapeuta na Estrutura Residencial para Pessoas Idosas da Fundação AFID Diferença

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.