A situação de sequidão extrema verificada em 2018 e em 2019 no continente europeu, com efeitos mais acentuados em países como a França, a Itália, a Polónia e a Alemanha, vai passar a ser uma realidade cada vez mais comum, alertam os especialistas. De acordo com um novo estudo, levado a cabo por um grupo de investigadores de um centro de pesquisa ambiental em Helmholtz, na Alemanha, divulgado pela revista científica Scientific Reports, o nível de secura dos solos tem vindo a aumentar.

Depois de analisarem registos que remontam a 1766, os investigadores estão apreensivos. "As sequidões dos últimos verões consecutivos, 2018 e 2019, não tiveram precedentes nos últimos 250 anos e o seu impacto combinado no crescimento das culturas é mais forte do que a secura ocorrida em 2003", alerta Rohini Kumar, um dos autores do estudo científico. O aquecimento global e o aumento das emissões de gazes com efeito de estufa são duas das causas apontadas pelos cientistas.

Fotografias chocantes que nos mostram os impactos das alterações climáticas no mundo
Fotografias chocantes que nos mostram os impactos das alterações climáticas no mundo
Ver artigo

"As projeções mostram-nos também que as zonas agrícolas afetadas no centro do território europeu podem vir a duplicar", alerta o investigador, que teme que 40 milhões de hectares de culturas possam vir a ser atingidas. "Implementar medidas que reduzissem essas emissões poderia reduzir o risco de ocorrência de episódios de sequidão consecutivos na Europa", garante Rohini Kumar. "É urgente reconhecer a importância destes fenómenos persistentes e desenvolver um modelo integrado que sirva de exemplo [aos diferentes países] para reduzir esse risco", defende o cientista do Helmholtz-Zentrum für Umweltforschung UFZ.

Este estudo é conhecido no dia em que o jornal Público revela que a albufeira de Alqueva não tinha tão pouca água desde fevereiro de 2004, por causa da cultura intensiva que tem vindo a ser praticada nos terrenos circundantes. Desde 2014 que a barragem não atinge a sua capacidade máxima de armazenamento, registando-se inclusive uma tendência de diminuição do débito dos seus caudais. A situação tem vindo a acentuar-se nos últimos anos, aumentando o nível de sequidão dos solos na região.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.