Depois de reagir à polémica com Miguel Milhão, fundador da Prozis, no que ao aborto diz respeito, Ana Garcia Martins decidiu manifestar a sua opinião sobre o assunto no Instagram, depois de ter assistido a um vídeo em direto do empresário.

"O que me incomoda não é o Miguel ser anti-aborto, mas sim achar que essa teoria deve ser aplicada a TODAS as mulheres", sublinha.

"No limite, poderá opinar em sua casa (opinar, repito, e não decidir, porque a palavra final será SEMPRE da mulher), mas não cabe a nenhum Miguel desta vida decidir o que eu, a minha amiga ou qualquer outra mulher pode fazer com o SEU corpo. E por isso me incomoda, entristece e preocupa que o Miguel tenha celebrado um retrocesso tão grande como é o da revogação do direito ao aborto nos Estados Unidos", lamenta.

"Acharmos que isto não tem nada a ver connosco, que é só uma coisa que está a acontecer num país distante, é perigoso e falacioso. Porque é um precedente grave que está a ser aberto, uma violação a um direito que já tinha sido adquirido, a interferência abusiva numa decisão que deveria ser pessoal. E acho que isso deveria ser um motivo de preocupação transversal numa sociedade (que se quer) global", sublinha ainda.

"Eu percebo, mesmo, que haja quem se posicione contra o aborto. Mas sempre e exclusivamente a título individual, decidindo e opinando sobre o que quer para si. Quando passa para o plano coletivo e para a potencial limitação de uma liberdade alheia, lamento, jamais conseguirei aceitar", termina.

Eis a publicação completa:

Leia Também: Prozis. "A maioria vai continuar a promover panquecas como se nada fosse"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.