Nos dias que correm, o champô sólido é um produto que dispensa apresentações e que veio revolucionar o setor dos cosméticos devido à sua praticidade e lado ecológico. Mas será que sabia que este foi lançado pela Lush há 35 anos?

A história da sua invenção é muito peculiar, servindo de exemplo que também no erro e na falha se podem esconder oportunidades de sucesso. Em 1987 a cofundadora da marca britânica, Mo Constantine, juntou-se ao químico Stan Krysztal para a criação de um novo produto: um sabonete.

Na tentativa de dar forma a este lançamento, durante a fase de testes foram introduzidas na sua composição agulhas de surfactante em troca de fios de detergente sintéticos. Mas o resultado final não convenceu a marca devido à sua falta de consistência e ao facto de não produzirem muita espuma.

Mark Constantine, CEO e cofundador da marca, viu aqui uma grande oportunidade de negócio e o nascimento de algo inovador: o champô sólido. Passados 35 anos é considerado um produto de culto da Lush e que deu origem a uma gama composta por 10 variedades com fins específicos que vão do volume ao brilho, passando pelo efeito calmante.

Outra questão importante - e à qual os consumidores estão mais atentos - é o seu lado mais sustentável: uma vez que não vem embalado é um produto que não gera desperdício e a sua produção tem uma menor pegada de carbono face aos produtos convencionais. Atualmente a marca já comercializa duas caixinhas - uma de lata e outra de cortiça - de forma a poder guardar o champô num local seco após a sua utilização.

A gama de champô sólidos tem o custo unitário de 10,95€ e está à venda nas lojas físicas e online.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.