Algumas das calorias necessárias para a produção do leite materno são fornecidas pelas reservas de gorduras do corpo acumuladas durante a gravidez. Todavia, são necessárias calorias adicionais que ultrapassam em muito as que reservou antes da gravidez, a fim de fornecer energia suficiente para saciar as necessidades do seu bebé em crescimento. Quando começar o desmame do bebé, as suas necessidades calóricas regressarão gradualmente aos níveis anteriores à gravidez.
As directrizes do Ministério da Saúde sugerem as seguintes quantidades de calorias adicionais durante os três primeiros meses de amamentação:
Durante o primeiro mês -- 450 calorias

Até aos dois meses -- 530 calorias

Até aos três meses -- 570 calorias
Contudo, uma investigação recente sugere que estes valores são demasiado elevados e que bastam 300-400 calorias adicionais por dia para mães a amamentar em exclusivo durante os primeiros três meses.
-se definidos dois conjuntos de valores relativos à ingestão de calorias adicionais após os primeiros três meses. As mães inseridas no Grupo 1 são aquelas cujo leite já não constitui a totalidade ou a maior parte da alimentação do bebé após os primeiros três meses. As mães do Grupo 2 são aquelas cujo leite satisfaz todas ou quase todas as necessidades energéticas e nutritivas do bebé durante seis meses, ou mais.
3-6 meses :

Grupo 1 -- 480 calorias

Grupo 2 -- 570 calorias
Mais de 6 meses:

Grupo 1 -- 240 calorias

Grupo 2 -- 550 calorias continua

O que devo comer?

Pense na amamentação como uma nova motivação para continuar a alimentação saudável da gravidez. Concentre-se em comer cereais e flocos integrais, fruta fresca e legumes, bem como alimentos que lhe forneçam muitas proteínas, cálcio e ferro (e, como sempre, não faz mal nenhum uma guloseima de vez em quando).
Entre as refeições, opte por alimentos nutritivos como iogurte, sanduíches de pão integral com vegetais e salmão fumado, atum, queijo ou fruta.
Beba muita água – isso ajuda a manter a produção de leite.
Ingira sempre muitos líquidos – cerca de oito a doze copos de água por dia é o ideal. Estará assim a ajudar o seu corpo a produzir o leite de que necessita para o bebé.
Cuidado com o que come e bebe

Substâncias como cafeína, álcool e outras toxinas podem passar do sangue para o leite materno, pelo que deve evitar ingeri-las em quantidades excessivas. A nicotina do tabaco e os medicamentos também são excretados no leite materno e devem ser evitados (o seu médico pode indicar quais os medicamentos mais adequados). Não terá problemas em detectar se o bebé é sensível a alguma coisa que tenha comido ou bebido – o seu desconforto será evidente, já que ficará inquieto depois de mamar, pode chorar inconsolavelmente ou ter dificuldade em dormir.
"Quando eu bebia café com cafeína, não conseguia acalmar a minha filha”, conta uma mãe. "Quando voltava a tomar descafeinado, tudo corria bem". Se um bebé for alérgico a alguma coisa que tenha comido, poderá detectar uma reacção ao nível da pele (prurido ou urticária), da respiração (sibilo ou congestão) ou das fezes (verdes ou mucosas). Aconselhe-se junto do seu médico assistente.
Embora algumas mulheres garantam que os alimentos picantes ou condimentados perturbam os bebés, a melhor estratégia é possivelmente a tentativa e erro, dado que a irritabilidade alimentar varia muito de bebé para bebé. Se constatar que pode comer frango com alho ou um potente caril de vegetais sem que o bebé se queixe, força. Tenha apenas cuidado com o seguinte: alguns dos alimentos que mais causam cólicas são os brócolos, as couves, as cebolas e as couves de Bruxelas. continua

Tome muito ferro

Se tiver tomado suplemento vitamínico durante a gravidez, é possível que não necessite dele agora que o bebé já nasceu. Mas é bem possível que necessite de um suplemento de ferro. Muitas mulheres esgotaram as suas reservas de ferro durante uma boa parte da sua idade fértil. Aconselhe-se junto do seu médico, enfermeiro ou outro profissional de saúde. Se continuar a tomar um suplemento vitamínico geral, lembre-se de que isso não compensa maus hábitos alimentares. Esforce-se por fazer uma alimentação equilibrada e diversificada.
Posso fazer dieta durante a amamentação?

Perca peso gradualmente, combinando uma alimentação saudável e com poucas gorduras com exercício moderado. A perda rápida de peso pode constituir um risco para o bebé, devido à possível libertação de toxinas – normalmente armazenadas no tecido adiposo – para o fluxo sanguíneo, aumentando a concentração destes contaminantes no leite materno.
Além disso, a amamentação ajuda a queimar a gordura acumulada durante a gravidez e utiliza-a na produção de leite. Uma mãe a amamentar queima muito mais calorias do que uma mãe que não o faça – isso significa que a maioria das mães que amamenta pode perder cerca de 0,5 kg por mês, simplesmente devido à energia dispendida na produção de leite.
De qualquer modo, conte com 10 meses a um ano para recuperar o peso que tinha antes da gravidez. Se decidir reduzir ligeiramente a quantidade de alimentos ingeridos, espere pelo menos seis semanas após o nascimento do bebé. Limitar o que come nas primeiras semanas de aleitamento pode reduzir a produção de leite.
Recomendamos que veja também:
O seu bebé tem duas semanas
O meu bebé reconhece-me?
Leite de substituição
Dicas para um banho seguro
O que é esta penugem que cobre o corpo do meu bebé?
Pais recentes - dicas básicas para uma boa noite de sono
Crie o seu próprio refúgio para amamentar

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.