Ter filhos na idade de ter netos é como beber um elixir da juventude, asseguram muitos especialistas, nacionais e internacionais. Segundo vários estudos, melhora a vitalidade e espanta os fantasmas do envelhecimento. Na verdade, é diferente de ser-se pai aos 30 ou depois dos 50. No primeiro caso, as ambições profissionais e alguma instabilidade financeira podem dificultar a proximidade entre pai e filhos.

Na idade madura, a maior estabilidade psicológica e financeira permite habitualmente que o papel de pai seja exercido com maior dedicação. E também porque o homem maduro se liberta mais facilmente dos rígidos padrões da masculinidade, dando expressão diferente às suas emoções. Ser um pai maduro pode, no entanto, ser difícil quando o filho atinge a adolescência, como muitas vezes sucede.

A diferença de idades pode eventualmente determinar dificuldades de partilha de interesses e na compreensão de estilos de vida, ainda para mais nos desafiantes dias que correm. Por outro lado, quanto maior for a idade em que um homem se torna pai, maior é a possibilidades transmitir mutações genéticas. A procura de um geneticista e a realização de um diagnóstico pré-concecional pode diminuir ou afastar esse risco.

Revisão científica: Nuno Monteiro Pereira (médico urologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.