Setembro é um mês marcado pelo início do ano letivo e, por isso, é um mês em que há um maior esforço financeiro por parte de muitas famílias portuguesas. Isto porque, a juntar ao regresso às aulas, acrescem ainda todos os custos fixos já existentes, por isso torna-se importante antecipar os gastos, saber com o que pode contar e onde deve cortar.

Foi a pensar nisso que partilhamos dicas de poupança com nota máxima, para passar esta época do ano com distinção, sem comprometer as necessidades do seu filho e os compromissos financeiros já existentes.

  1. Fazer um planeamento financeiro é fundamental

Planear é o ponto de partida para encontrar formas de fazer face às despesas de qualquer natureza, sejam elas escolares ou não. Por isso, aqui não poderia ser diferente. Embora seja importante fazê-lo mensalmente, agora, após o período de férias e com o regresso às aulas à porta, a sua importância é redobrada.

Este é o momento de verificar quais foram os seus gastos feitos durante estas férias, e até mesmo durante o ano, e programar antecipadamente o orçamento que pretende e pode adjudicar para este ano letivo.

Só depois deve prosseguir para o planeamento dos gastos extra que prevê ter no regresso às aulas: material escolar, as roupas que já não servem e precisam de ser substituídas, o regresso das mensalidades de atividades extracurriculares, e por aí adiante.

  1. Encontrar soluções para equilibrar as suas contas

Feitas as contas, o resultado do seu planeamento não é animador? Não se deixe abalar. Este pode ser apenas o ponto de partida para procurar formas de ultrapassar o desafio. E como? Eis algumas estratégias que podem trazer algum alívio ao orçamento familiar neste momento mais desafiante:

  • Traçar um plano de contenção de despesas e colocar o agregado familiar doméstico ao corrente do objetivo;
  • Rever os encargos fixos: procurar fornecedores de serviços fixos (água, eletricidade, gás, internet) que apresentem propostas mais competitivas, renegociar o crédito habitação, atrasar o regresso ao ginásio, por exemplo;
  • Considerar o crédito consolidado: agregar todos os créditos que tenha (habitação, automóvel, pessoal e cartão de crédito) num só crédito, com uma prestação única e mais baixa, o que permite reduzir os encargos.
  • Analisar as condições do seu crédito habitação e perceber se não há ofertas no mercado mais vantajosas. Poderá transferir o seu crédito para outra instituição financeira e conseguir poupar milhares de euros.
  1. Poupar nas pequenas coisas

Embora o ponto anterior revele as grandes dicas para poupar significativamente, existem outras pequenas formas, que podem ser adotadas em paralelo, e que vão ter um impacto no seu orçamento familiar. E são elas:

  • Reutilizar material escolar: faça um inventário do material escolar que o seu filho possui e aproveite o que estiver em boas condições.
  • Aguardar pelas promoções para conseguir o material escolar que o seu filho não precisará no imediato, por um preço muito mais baixo.
  • Poupar no vestuário: considere lojas de roupa em segunda mão ou aproveite a época de saldos e promoções para comprar as peças de roupa de inverno e/ou renovar a roupa de educação física do seu filho.
  • Comer em casa ou preparar com antecedência os snacks e refeições para levar.
  • Poupar nas deslocações: se as distâncias forem curtas opte por ir a pé ou de bicicleta. Se precisar do automóvel, procure ter um cartão que lhe dá acesso a pontos e descontos no combustível.

Estas são só algumas mudanças que pode fazer no dia a dia e que podem fazer toda a diferença no seu orçamento familiar. Na verdade, tanto os pais como os filhos devem fazer parte desta poupança, tornando assim o regresso às aulas mais tranquilo.

Faça as contas e considere as várias soluções. Bom regresso às aulas!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.