"Karl Lagerfeld: A Line of Beauty" é o tema da próxima edição do baile do Metropolitan Museum of Art (MET) que, todos os anos, acontece na primeira segunda-feira de maio em Nova Iorque.

O falecido estilista alemão, que sempre se destacou pela genialidade e criatividade das suas criações e colaborou com as mais importantes casas de moda do mundo, foi escolhido como tema do próximo baile do MET que terá lugar no dia 1 de maio.

Uma vez que Lagerfeld sempre defendeu a noção de que as criações de moda não eram obras de artes e, logo, não pertenciam em museus, Andrew Bolton, curador do Costume Institute, teve de encontrar uma estratégia diferente para apresentar parte dos 65 anos de legado do estilista. As suas premiers e os seus sketches vão servir de fio condutor de toda a exposição que terá lugar na primavera de 2023.

“Ele desenhava tudo. Dizia sempre que aprendeu a desenhar antes de aprender a falar ou a andar. De muitas maneiras era a sua principal forma de comunicar, estivesse a enviá-los por fax ou pelo iphone. No centro desta exposição vamos olhar para evolução dos desenhos bidimensionais do Karl em peças de roupa tridimensionais. E o que é fascinante é ter descoberto isto: sempre pensei que os seus desenhos eram espontâneos e quase impressionistas. Mas eles eram extremamente precisos, quase matemáticos. Nós não conseguimos ver isso porque  não estávamos treinados, mas as suas premiers sabiam praticamente ao milímetro o significado de cada linha. Era quase como um código secreto, uma linguagem partilhada entre ele e essas premiers, que apenas elas conseguiam decifrar,” referiu o curador à revista Vogue.

A exposição, que vai realizar-se na Tisch Gallery, vai contar com 150 looks da autoria de Karl Lagerfeld, sendo que cada um será acompanhado pelo respetivo sketch e ainda um pequeno vídeo da premier encarregue daquela criação.

De forma a selecionar parte do trabalho que desenvolveu junto de marcas como Balmain, Chloé, Fendi ou Chanel para este evento, o MET contou com a ajuda preciosa de Amanda Harlech, que trabalhou durante anos com Lagerfeld e que assumiu o cargo de consultora da exposição. O arquiteto Tadao Ando ficou responsável por desenhar o interior da Tisch Gallery para o efeito.

Apesar de a lista de co-chairs e de anfitriões da noite ainda estarem por revelar, a exposição vai contar com o apoio da Chanel e da Fendi e com o financiamento da Condé Nast e da Karl Lagerfeld.

Organização e objetivo do evento

O Baile do MET é um evento de angariação de fundos organizado pelo Costume Institute do Metropolitan Museum of Art (MET) cujo objetivo é recolher recursos financeiros para se auto-financiar durante os próximos 12 meses. O evento serve de momento inaugural para a exposição de moda que todos os anos é organizada pelo Costume Institute e que só abre ao público no dia seguinte.

"A moda era vista como frívola e trivial quando comparada com as belas artes do século XIX, mas a verdade é que tinha um conceito, uma estética, determinadas regras, técnicas refinadas... Ou seja, tudo aquilo a que sujeitamos o critério de arte. Olhamos para as roupas como obras de arte", afirmou durante o documentário 'The First Monday in May' (2015) Harold Koda, antigo curador responsável do Costume Institute, que está localizado num piso subterrâneo do MET e que alberga a maior coleção de moda do mundo.

O estilista britânico Alexander McQueen, que cometeu suicídio em 2010, foi uma figura fulcral nesta aceitação e mudança de mentalidade perante a moda como forma de arte. Recorde-se que em maio de 2011, o MET inaugurou Alexander McQueen: Savage Beauty, uma exposição em honra do estilista que se tornou numa das mais visitadas na história do Costume Institute.

Preparativos e decoração

O Baile do MET começa a ser preparado com cerca de oito meses de antecedência sob o pulso firme de Anna Wintour, editor in chief da Vogue e trustee do Costume Institute. "É frustrante porque nem sempre se compreende a narrativa e complexidade do evento do ponto de vista do designer. Tento não prestar atenção à opinião dos outros em termos de expectativas e tento confiar na minha decisão. Muitas pessoas têm uma compreensão superficial sobre a moda. Sobrestimam o poder que as peças de roupas têm em contar uma história ou tocar a vida das pessoas", referiu Andrew Bolton, curador responsável do Costume Institute, durante o documentário a propósito da exposição China: Through The Looking Glass que se realizou em 2014.

Após a seleção dos estilistas, a exibição começa a ganhar forma num storyboard onde constam as criações selecionadas para integrar a exposição e com que objetos de arte irão ser conjugadas. Para além de supervisionar as instalações e o design da exposição, Anna Wintour fica encarregue de elaborar a lista de convidados, organizar as mesas, pensar na decoração e na iluminação do evento.

Recorde-se que a relação entre o Costume Institute e a Vogue é algo que já vem desde os anos 1970, altura em que Diana Vreeland se tornou consultora no Costume Institute do MET após abandonar o cargo de editor in chief da Vogue. Contudo o primeiro Baile teve lugar em 1948 pela mão da publicista Eleanor Lambert que começou o evento como uma atividade filantrópica para a elite nova-iorquina. Anna Wintour tomou as rédeas do evento em 1995 e desde então que, todos os anos, está encarregue de elaborar a lista de convidados que junta o mundo da moda e do cinema.

Tema do evento, dress code e convidados

Todos os anos a organização divulga o tema da exposição preparada pelo Costume Institute que poderá refletir-se, ou não, na indumentária escolhida pelos convidados.

É de destacar que cada criador de moda costuma escolher uma celebridade que, para além de o acompanhar ao evento, deverá vestir um look assinado por si. Esta é uma forma de os estilistas escolherem a sua musa, ou seja, a pessoa que melhor define a estética dos seus designs.

Apesar da vertente solidária, a verdade é que nem todos aqueles que marcam presença no evento são obrigados a pagar, aproximadamente, 40.000 euros por um bilhete ou 260 mil euros por uma mesa. Nesta lista estão incluídas as celebridades que são cuidadosamente seleccionadas por Anna Wintour, os performers da noite, as estrelas que são convidadas pelos designers para o evento e os estilistas em início de carreira ou aqueles que não têm posssibilidade em comprar um bilhete.

O Baile do MET desenrola-se da seguinte maneira: após passarem pela passadeira vermelha e cocktail, os convidados são os primeiros a fazer uma visita pela exposição. O evento termina com um jantar e a atuação de um artista convidado pela organização.

"Karl Lagerfeld: A Line of Beauty" abre ao público no dia 5 de maio e vai estar patente até dia 16 de julho de 2023.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.