Sofia Aparício não conseguiu conter as lágrimas ao recordar o pai. A atriz deu uma entrevista a Manuel Luís Goucha esta terça-feira, 28 de junho, onde lembrou a sua infância - passada em Luanda até aos quatro anos.

"Nasci em 1970. O meu pai era angolano e nessa altura tinha no bilhete de identidade ‘branco de segunda’. Isso tinha bastantes constrangimentos, não te sei dizer quais, é horrível", lembra.

"A minha mãe não queria que fosse branca de segunda e eu fui nascer a Viana do Castelo. Com menos de um mês fui de navio para Angola", lembra, notando que em 1974 fez parte das milhares de famílias de retornados.

"Sempre me senti africana, é uma extensão do amor que tenho pelo meu pai", sublinha, referindo que já teve a oportunidade de conhecer a aldeia onde o pai nasceu.

"O meu amor por ele não cresceu, porque não dava mais, mas a minha admiração por ele sim", completa.

Veja o momento.

Leia Também: Goucha lembra história hilariante: "Sempre dei a mesma resposta idiota"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.