Foi durante a entrevista dada a Manuel Luís Goucha que Felipa Garnel recordou a passagem pela TVI. Recorde-se que esta foi diretora de programas de agosto de 2019 a janeiro de 2020.

Uma conversa que contou ainda com a presença do marido, Nuno Lobo Antunes, e que foi transmitida esta quinta-feira, 17 de junho.

Questionada por Goucha, Felipa começou por dizer que não entendeu esta passagem pelo canal como um “fracasso”.

Foi muito difícil. Entrei numa altura em que toda a gente na TVI sabia que estaria à venda, mas ninguém sabia que era amanhã que essa venda [ia acontecer]. E foi literalmente assim. Fiquei ali alguns meses autenticamente a fritar porque os espanhóis queriam uma coisa e o suposto novo proprietário, que era a Cofina na altura, queria outra. E ninguém mandava. Uns queriam dinheiro e outros queriam audiências… Não tinha um tostão para gastar”, recordou.

Hoje em dia estou completamente resolvida com isso. Senti que fui vítima das circunstâncias, que eram muito complicadas. Fiz o que pude. Estou perfeitamente convencida que teria sido um tempo difícil para qualquer pessoa. Não tinha um tostão para fazer nada”, frisou. “Claro que quando saí, saí magoadíssima. Foi tudo mal feito”, admitiu.

“Se valeu a pena [como experiência profissional]? Não sei se houve tempo para valer a pena. Algumas coisas sim, aprendi algumas coisas… Estava com pessoas que eu gostava também, e esses aspetos valem sempre a pena. Depois foram uns meses de sofrimento atroz e isso nunca vale a pena. Não vieste a este mundo para sofrer”, acrescentou.

Por sua vez, Nuno Lobo Antunes elogiou a mulher, destacando o “orgulho imenso” que tem em Felipa Garnel.

Leia Também: Felipa Garnel recorda tempos na direção da TVI em entrevista a Goucha

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.