“A mensagem de prudência é uma mensagem que temos de manter permanentemente porque é muito claro para todos que a pandemia ainda não desapareceu. Felizmente, a vacinação tem vindo a evoluir a um bom ritmo, mas estamos longe da cobertura da totalidade população”, afirmou António Costa, em declarações aos jornalistas portugueses em Bruxelas no final de um Conselho Europeu de dois dias.

Questionado na ocasião sobre a situação de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado uma subida do número de infeções, o responsável acrescentou: “Vamos ter de continuar a ser prudentes até a pandemia ser erradicada e o concelho de Lisboa não é diferente dos outros 277 concelhos do continente e, por isso, as regras que se aplicam aos 278 concelhos aplicam-se também a Lisboa”.

“A situação em Lisboa [em termos de infeções] tem vindo a aumentar, embora da informação que tem sido possível recolher […] explicam-se sobretudo por um conjunto de surtos bastante localizados uma parte, a outra parte tem uma localização bastante definida do ponto de vista geográfico”, justificou o chefe de Governo.

Já questionado se este acréscimo poderá estar relacionado com a reabertura do turismo no país, nomeadamente para turistas britânicos, António Costa vincou que “não há qualquer correlação estabelecida neste momento entre essa reabertura” e a subida das infeções.

“Os casos estão mais associados a celebrações familiares e a condições habitacionais do que a propriamente aos turistas britânicos”, assinalou.

Já confrontado se em causa poderá estar os festejos do Sporting, António Costa disse também que “não parece haver grande evidência”.

“Há alguns casos de pessoas que, infelizmente, estão infetadas e participando nos festejos, mas a fazer fé das imagens que vi na televisão das pessoas que estavam nos festejos e do número de casos verificados diria que não há aí uma forte correlação”, sustentou.

Notando que “está marcada para sexta-feira uma das reuniões do Infarmed para ouvir os especialistas”, António Costa adiantou que, até lá, “serão mantidas as regras e, sobretudo, é fundamental que todos mantenham a prudência”.

Portugal registou hoje três mortes atribuídas à covid-19 e 375 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, indica a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 175 casos, contabilizando-se até agora 319.621 e 7.211 mortos atribuídos à covid-19.

Também para hoje, está marcada uma conferência de imprensa para anunciar novas medidas relacionadas com a pandemia de covid-19 para Lisboa, tendo em conta a subida do número de casos e do índice de transmissibilidade nesta região.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.475.079 mortos no mundo, resultantes de mais de 167,1 milhões de casos de infeção.

Em Portugal, morreram 17.018 pessoas dos 845.465 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da DGS.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.