Num ambiente surrealista, as modelos desfilaram no passado domingo no meio das linhas de montagem da histórica fábrica de Maranello, localizada no norte de Itália.

A coleção, com as cores favoritas da marca, entre elas o vermelho e o amarelo, apareceu em anoraques, capas de chuva e cintos com o logo do "cavalinho empinado".

Com este desfile de moda, a Ferrari pretende "apoiar a excelência e a melhor criatividade italiana", comentou o presidente, John Elkann, citado num comunicado de imprensa.

A primeira coleção de moda da Ferrari foi assinada pelo diretor criativo do grupo, Rocco Iannone, ex-estilista de Giorgio Armani e Dolce & Gabbana.

Casacos curtos e parcas amplas, feitas em nylon, seda e tecidos reciclados, alternaram-se com saias, calças curtas, algumas folgadas, outras justas.

"Os carros não têm género, é igual com a roupa", comentou a marca, reivindicando um "estilo atrevido e intrépido", adequado tanto para as mulheres como para os homens.

A Ferrari inaugurou na terça-feira o mítico restaurante "Cavallino" em Maranello, sob a égide do famoso chef italiano Massimo Bottura, que tem três estrelas Michelin.

Trata-se do local onde o carismático fundador da marca, Enzo Ferrari, costumava receber numa pequena sala privada funcionários, clientes e amigos.

O restaurante, aberto ao público pela primeira vez em 1950, foi reformado durante um ano e meio pela arquiteta e designer franco-iraniana India Mahdavi.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.