A toxina botulínica, substância capaz de provocar a paralisação muscular, através do seu relaxamento, começou por ser usada em oftalmologia para corrigir, entre outras enfermidades, o estrabismo. Observou-se entretanto que o olho tratado passava a apresentar menos rugas do que o não tratado, e deu-se então o início das pesquisas e utilização da toxina botulínica na área da estética. Com o passar dos anos e o avanço das pesquisas, a utilização da toxina expandiu-se não somente na urologia, na ortopedia, na neurologia e na oftalmologia, mas também na área da medicina estética.

A dermatologista Mara Fragomeni revela alguns dos procedimentos que estão a revolucionar a utilização do botox:

1. Rejuvenesce o decote

As rugas verticais tratam-se seguindo um triângulo imaginário desde metade de cada mama até ao sulco mamário. As rugas horizontais tratam-se injectando a toxina em semicírculo, em redor da ruga, como um colar de pérolas. São, em média, necessárias cerca de 15 a 20 injeções, com a mesma dose, que se utiliza para tratar um rosto (25 a 50 unidades). Este é um excelente complemento depois de um peeling químico ou de um tratamento de mesoterapia. Pode também ser uma alternativa para quem já experimentou outros tratamentos e não ficou satisfeito.

No que se refere a sessões, o recomendado são duas vezes por ano, uma no verão, outra no Natal. Os resultados são rapidamente visíveis. O decote não tem músculos, pelo que, em vez de relaxamento muscular, provoca o relaxamento dos tecidos, com consequente alisamento da pele. Não resulta tão bem como no terço superior do rosto, mas melhora bastante a aparência, desigadamente em termos de luminosidade cutânea. O efeito dura cerca de dois meses. Preços a partir de 500 €.

2. Atenua as rugas de fumador

Para atenuar o chamado código de barras, também conhecido como rugas de fumador, picam-se dois pontos específicos situados no lábio superior e outros dois situados no lábio inferior. O tratamento implica, no mínimo, duas injecções de uma a três unidades de toxina botulínica. Este procedimento está indicado quando as rugas são resultado da contractura muscular, ao gesticular, ao fumar, ao falar, por exemplo, mas também em bocas que, ao sorrirem, expõem demasiado as gengivas.

Para corrigir aquele tipo de sorriso que mostra mais gengiva do que é desejável, são necessárias três a cinco injeções (de uma unidade de toxina cada) na parte interna da mucosa do lábio superior, relaxando o músculo elevador do lábio superior. Uma única sessão é necessária para este efeito. No que se refere a resultados, este procedimento atenua as rugas do «código de barras» e o efeito dura cerca de seis meses. Após esse prazo, deve repetir-se o tratamento. Preços a partir de 500 €.

3. Elimina a tensão no pescoço

Quando falamos e gesticulamos, os músculos do pescoço formam uma espécie de cordas que ficam tensas e se tornam visíveis. Experimente dizer «Iii» esticando a boca para baixo e para fora e verifique se ficam salientes.É provável que se notem mais a partir dos 40 anos. Para corrigir esta situação, injeta-se, a todo o comprimento da «corda», em quatro ou cinco pontos diferentes, 50 a 100 unidades de toxina botulínica.

Se se tratar de um pescoço envelhecido e/ou com tensão muscular exagerada ao gesticular, este tratamento poderá resultar muito bem. Está indicado, precisamente, para pessoas com muita atividade no músculo platisma do pescoço, que é o maior depressor do rosto. O recomendado é uma aplicação duas vezes por ano. Após essas, a aparência do pescoço melhora bastante e as tais cordas desaparecem. O rejuvenescimento nota-se na própria semana em que se realiza a sessão. Preços a partir de 500 €.

Veja na página seguinte: O que o botox faz pelo... nariz!

4. Eleva a ponta do nariz

Com três injeções de cinco a sete unidades de toxina botulínica paralisa-se o músculo depressor da ponta do nariz. Cerca de 21 dias depois da intervenção já se podem avaliar os resultados. Este procedimento resulta bem em narizes que tendem a achatar-se durante a conversação. Uma única sessão. Com a aplicação, sobe a parte dorsal e a ponta do nariz e atenua as rugas que vão desde o olho até ao nariz. O efeito dura entre três e nove meses. Preços a partir de 500 €.

5. Mesobotox

Trata-se de uma espécie de mesoterapia facial, realizada com agulhas de mesoterapia, com toxina botulínica muito diluída. Injeta-se a toxina na derme para que as microfibras musculares que temos por baixo da pele relaxem. Para tornar este procedimento menos desagradável, aplica-se um creme anestésico. Este tratamento pode combinar-se com outras técnicas antienvelhecimento, nomeadamente peelings químicos, bioestimulação com plaquetas ricas em factores de crescimento, entre outros. O mesobotox está especialmente indicado para peles gordurosas.

Uma única sessão é necessária para visualizar resultados. Atenua as rugas, melhora a textura, o brilho, a luminosidade e o aspecto geral da pele. As melhorias são evidentes a partir da terceira ou quarta semana e duram entre quatro a oito meses. Preços a partir de 350 €.

6. Corrige a transpiração excessiva

O botox pode corrigir, temporariamente, a transpiração exagerada nas palmas das mãos, no couro cabeludo e nas axilas. As injeções nas axilas e no couro cabeludo toleram-se muito bem. Nas mãos, ainda que superficiais, são mais dolorosas, por isso recorre-se a uma anestesia troncular (local). O procedimento é sempre o mesmo. Dão-se múltiplas injeções por toda a zona a tratar.

Uma única sessão basta para atingir resultados. Este tratamento oferece melhores resultados nas axilas, onde a transpiração excessiva fica controlada até oito meses. Nas mãos e no couro cabeludo, os efeitos duram quatro ou cinco meses. O tratamento elimina o suor mas não o odor. Preços a partir de 500 €.

7. Lifting sem cirurgia

À medida que envelhecemos, os músculos depressores endurecem a expressão facial. Exemplo disso são os músculos do pescoço, que formam uma espécie de cordas. Com a toxina botulínica, relaxam-se estes músculos e fortalecem-se os músculos elevadores. O objetivo é injetar a toxina nos músculos depressores para debilitar a sua força, o que implica, ao mesmo tempo, um aumento da funcionalidade dos músculos elevadores. Este procedimento é indicado para pessoas que apresentam rugas de expressão e um grau leve a moderado de flacidez no rosto e no pescoço.

Duas vezes por ano são as sessões recomendadas para obter resultados. Não substitui a cirurgia, porque os resultados não são comparáveis, mas permite obter efeitos muito naturais. Diminui a flacidez, melhora o aspeto da pele, recupera o contorno facial, eleva as sobrancelhas e suaviza os pés de galinha. Preços a partir de 600 €.

Veja na página seguinte: As contraindicações do botox

8. Revitaliza a expressão

Este procedimento estético consiste em injectar botox no músculo depressor dos cantos da boca. Isto é, num ponto de cada lado da boca, que vai desde a aba do nariz até à comissura do lábio. É necessária destreza e precisão na aplicação. O objetivo é injectar a toxina nos músculos depressores para debilitar a sua força, o que implica, ao mesmo tempo, um aumento da funcionalidade dos músculos elevadores. São necessárias apenas duas injeções e basta usar duas a quatro unidades de toxina de cada lado.

Funciona muito bem em rostos que, com o passar do tempo, e sobretudo a partir dos 30 anos, têm tendência para ganhar vincos visíveis nas comissuras dos lábios. Duas vezes por ano é a periodicidade recomendada. Demora dois a quatro dias para começar a fazer efeito e cerca de uma semana até se conseguir o resultado completo, nota-se que, quando se fala e se gesticula já não se tem aquele ar tristonho de antes. Preços a partir de 350 €.

As contraindicações do botox

A aplicação da toxina botulínica é um acto médico, que requer formação adequada perfeito conhecimento da anatomia humana. «A experiência de um profissional treinado especificamente para manipular corretamente a substância minimiza praticamente a zero a ocorrência de complicações», refere a dermatologista Mara Fragomeni. Em contrapartida, «a utilização repetida de forma indiscriminada, pode induzir a formação de anticorpos neutralizantes em 5 % dos doentes, sendo que não responderão a novas aplicações», alerta.

É ao médico que compete a avaliação das corretas indicações. Segundo Mara Fragomeni, o botox está contraindicado nos casos de mulheres grávidas, puérperas ou a amamentar, pacientes de doenças neuromusculares (como a esclerose lateral amiotrófica) e utlização concomitante com outros agentes que potenciem a fraqueza neuromuscular, como os aminoglicosídeos. A dermatologista alerta ainda que «os pacientes devem ser informados de que a fórmula contém agentes derivados do sangue humano, como a albumina, mesmo que em doses muito baixas».

Texto: Ana Prista com Mara Fragomeni (dermatologista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.