Em declarações ao jornal britânico The Guardian, Susan Hopkins, indica que o valor do índice de transmissibilidade (Rt) da variante B.1.1.529 em Gauteng, uma província na África do Sul onde a estirpe foi encontrada, já se fixou em 2, o que quer dizer que uma pessoa infetada contagia outras duas.

Várias semanas serão necessárias para compreender o nível de transmissão e a virulência da nova variante do coronavírus que foi detetada na África do Sul, afirmou o porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os especialistas da OMS reúnem-se esta sexta-feira para decidir se a variante deve ser considerada "preocupante", disse Christian Lindmeier.

O laboratório alemão BioNTech, sócio da Pfizer, espera ter no mais tardar em duas semanas os primeiros resultados dos estudos que determinarão se a nova variante da COVID-19 detetada na África do Sul é capaz de escapar da proteção da vacina.

A Comissão Europeia instou hoje os Estados-membros da União Europeia (UE) a serem "muito vigilantes" em relação à nova variante, saudando os que estão a "agir rapidamente" e prometendo medidas comunitárias a anunciar esta tarde.

Pelo menos quatro países – Áustria, Itália, Israel e Singapura – proibiram hoje a entrada de viajantes provenientes de Moçambique, a par de outros países da África Austral, como medida de precaução devido à nova variante do coronavírus detetada na África do Sul.

França suspendeu hoje os voos provenientes de Moçambique, África do Sul, Lesotho, Botsuana, Zimbabué, Namíbia e Essuatini, com efeito imediato e durante pelo menos 48 horas, após ter sido encontrada uma nova variante do coronavírus.

"Estas medidas destinam-se a proteger contra a chegada deste vírus", disse o ministro da Saúde, Olivier Véran, que salientou que se trata de uma nova variante que se está a propagar rapidamente, mas que há poucos casos até agora.

A nova variante identificada pela África do Sul que provocou uma queda de 4% na abertura da bolsa de Paris, preocupa as autoridades francesas, que afirmaram esta manhã que agiriam para impedir a sua entrada em território francês.

Áustria, Itália, Israel e Singapura nomearam Moçambique como um dos países sujeito a restrições. Já o Reino Unido havia indicado uma lista de seis países a excluir: África do Sul, Botsuana, Essuatini (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia ou Zimbabué. Essa decisão inglesa já foi seguida pelo Japão e Alemanha.

O Departamento de Saúde da África do Sul e cientistas da Rede de Vigilância Genómica daquele país revelaram detalhes de uma variante Covid-19 recentemente detetada e altamente mutante - a B.1.1.529 – esta quinta-feira. Horas mais tarde, o Reino Unido anunciou que os viajantes da África do Sul, e dos países vizinhos, seriam impedidos de entrar no país.

Contágios com a B.1.1.529 foram detetados até agora no Botswana, Hong Kong, e África do Sul, uma notícia que resultou em novas perturbações nos voos internacionais.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.