Em comunicado hoje divulgado, a DGS refere que a Autoridade de Saúde da Região Norte já iniciou uma “investigação epidemiológica”, ou seja, está a identificar os contactos próximos de Luís Sepúlveda e da sua mulher, que estiveram em Portugal de 18 a 23 de fevereiro.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

O diagnóstico laboratorial do escritor chileno “foi positivo, aguardando confirmação pelo respetivo laboratório nacional de referência” estando também a ser investigada a fonte de infeção, acrescenta a DGS.

A mulher do escritor, que também se encontra em isolamento no hospital das Astúrias, “parece também ter sintomatologia compatível, encontrando-se sob investigação”, segundo a DGS.

Entretanto, a organização do festival criou “um grupo de acompanhamento”, depois de confirmar que Luís Sepúlveda está infetado com o novo coronavírus, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim (distrito do Porto), que organiza o festival, explica que “foi constituído um grupo de acompanhamento” que “seguirá todas as recomendações” da Direção-Geral de Saúde.

A organização do festival recomenda que "todos os funcionários/colaboradores que contactaram diretamente, num espaço de um a dois metros, com o autor, devem ficar em casa, evitar contactos sociais e seguir os procedimentos da Direção-Geral de Saúde".

"Todos os restantes funcionários/colaboradores afetos ao evento, mas que não tiveram um contacto mais direto, um a dois metros, com o autor, devem seguir uma auto-vigilância do seu estado de saúde", esclarece o festival.

Segundo a organização, foram já contactadas "todas as entidades que estiveram diretamente ligados ao evento".

A medida é tomada depois de ter sido confirmado que Luis Sepúlveda, um dos convidados do festival, está infetado com o novo coronavírus e hospitalizado em Espanha.

O jornal espanhol La Voz de Asturias noticiou no sábado que o escritor, de 70 anos, é o primeiro caso confirmado na região das Astúrias, em Espanha, e está em isolamento no Hospital Universitário Central das Astúrias, em Oviedo.

A 21.ª do festival Correntes d’Escritas decorreu de 19 a 23 de fevereiro com a participação de quase uma centena de autores de expressão ibérica, de 14 nacionalidades, que participaram em várias atividades, como debates e encontros com público.

Segundo a organização do festival, o grupo de acompanhamento está “em contacto direto com as entidades responsáveis de saúde local, regional e nacional”, remetendo “toda a comunicação sobre este assunto” para a Direção-Geral de Saúde.

O surto de Covid-19, detetado em dezembro na China e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou quase três mil mortos e infetou mais de 86 mil pessoas, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde.

Das pessoas infetadas, mais de 39 mil recuperaram.

No sábado, a Direção-Geral de Saúde (DGS) revelou que Portugal teve 70 casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 67 deram negativo e os restantes três aguardam resultados laboratoriais.

Adriano Maranhão, o primeiro a ser infetado com o novo coronavírus num navio, recebeu hoje alta hospitalar no Japão, depois de resultados negativos nas análises, segundo a sua mulher, Emmanuelle Maranhão.

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.