Que investigação é esta?

"Trata-se de um estudo que está a ser realizado no âmbito de um projeto de doutoramento em Psicologia Forense, na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, intitulado “Inventário de Avaliação da Personalidade - PAI: Estudos de Validação em Contextos Forenses”. Nesse âmbito, surgiu a necessidade de aplicar este inventário a população fora do universo forense, permitindo uma maior recolha de informação e tirando partido dos benefícios da tecnologia como ferramenta na investigação", explica Mauro Paulino, um dos autores do projeto.

Como se tem implementado as investigações online?

"Já antes da pandemia se falava em estudos online, mas de facto o cenário pandémico potenciou significativamente este recurso. Apesar dos necessários cuidados e desafios relativamente ao controlo do estudo e seletividade das amostras, por exemplos, são amplamente conhecidas as vantagens", adianta.

A British Psychological Society designou por investigação mediada pela internet qualquer tipo de investigação que recolha remotamente dados de participantes humanos, através da internet e das tecnologias a estas associadas. Destacam-se como principais vantagens da investigação online a maior funcionalidade na comunicação, ausência de efeitos do investigador e de obrigatoriedade, assim como a acessibilidade a amostras grandes e mais diversificadas.

Como podem os nossos leitores e seguidores participar nesta investigação?

Basta aceder a este link para o efeito. "A participação no estudo é totalmente voluntária e a finalidade da mesma é única e exclusivamente relacionada com a produção de conhecimento científico válido. Estamos a falar de uma participação totalmente voluntária e poderá recusar ou abandonar o estudo, em qualquer fase do mesmo, sem prejuízo", diz Mauro Paulino.

"A presente investigação não acarreta risco para o participante, sendo apenas necessário que nos dispense o seu tempo a responder às questões colocadas, cerca de 40 minutos", assegura.

O tratamento dos resultados será de natureza estatística, realizado exclusivamente ao nível de grupos, não existindo qualquer abordagem individual ou análise de resultados por parte do participante. Desta forma, é totalmente garantido o anonimato e a confidencialidade dos dados recolhidos.

Como é acautelada a questão ética neste tipo de estudos?

"Os procedimentos já referidos são exemplo desse cuidado e resultam de vários princípios que um investigador deve ter em conta. Alguns deles inerentes à sua atividade profissional em Psicologia, tais como o Código Deontológico da Ordem dos Psicólogos Portugueses, outros mais relacionados com linhas orientadoras usuais em matéria de investigação científica, como os princípios integrantes da Declaração de Helsínquia", refere o psicólogo clínico.

"É por esta postura, que se quer rigorosa, que as evidências existentes parecem apontar para uma qualidade equivalente entre os métodos de investigação online e os métodos de investigação mais tradicionais", acrescenta.

"Neste estudo, a equipa de investigadores teve, como só assim poderia ser, a preocupação em garantir a qualidade dos dados do estudo online, bem como garantir a proteção dos seres humanos enquanto participantes, preservando a autonomia, a privacidade, a dignidade, a integridade científica e agindo com responsabilidade social", conclui.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.