Crianças que foram negligenciadas ou vítimas de abusos podem tornar-se violentas quando têm dúvidas sobre o afecto. Muitos britânicos que adoptaram filhos queixam-se de não ter sido avisados desse aspecto e pedem apoio psicológico para lidar com a situação.

A notícia é da BBC e refere um trabalho da jornalista Victoria Derbyshire, que ouviu pais, professores e responsáveis por instituições de caridade a propósito deste tema.

Todos os intervenientes acreditam que estas crianças têm problemas de apego e o seu comportamento acaba por ser mal compreendido. Falam ainda da falta de preparação para lidar com o fenómeno.

Existem diferentes formas de problemas de apego, ligadas a traumas sofridos durante a infância. Uma mãe ouvida pela BBC, Diane, que adoptou duas crianças há dois anos, diz que à filha foi recentemente diagnosticado um apego ansioso-ambivalente. De que se trata? A criança fica angustiada quando se separa do cuidador, mas quando ele regressa evita-o.

Neste caso, a filha de Diane e o irmão foram negligenciados pelos pais biológicos. “E ela pura e simplesmente não consegue lidar com a situação quando não é o centro do meu mundo”, explicou a mãe.

Estima-se que três quartos das 70 mil crianças em regime de adopção no Reino Unido tenham sido vítimas de abuso ou negligência – o que, como sublinham alguns especialistas ouvidos neste artigo. “faz com que tenham maior probabilidade de obter maus resultados escolares e desenvolvam problemas de comportamento. Mais tarde, podem mais facilmente tornar-se dependente de álcool ou drogas e cometer ilegalidades.”

Refira-se que os problemas de apego podem surgir quando um dos pais fica doente, por exemplo com uma depressão pós-parto, ou morre.

Diferentes tipos de apego

Evitativo: crianças que foram desconsideradas pelos pais. Tendem a ser extremamente afectivas, mas também evitam o contacto físico, sinal de que não conseguem lidar com a sua angústia.

Ambivalente: fruto de uma paternidade inconsistente. Essas crianças ficam angustiadas quando separadas do seu cuidador, mas também resistem ao contato quando ele regressa.

Desorganizado: muito característico em filhos de pais abusivos. Estes miúdos procuram contato físico, mas aproximam-se sempre com medo. Geralmente parecem confusos e podem “congelar completamente.”

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.