Igual a ela própria, provocadora e irreverente, Madonna surpreendeu tudo e todos ao subir ao palco numa festa de apoio à comunidade LGBTQI na Boom Boom Room, a discoteca do hotel The Standard High Line, em Nova Iorque, nos EUA, para interpretar dois temas, "Hung up" e "I don't search I find", canção que integra o disco "Madame X", que a cantora, compositora, produtora discográfica, realizadora, atriz e empresária americana de 62 anos compôs e gravou no período em que viveu em Portugal.

Envergando uma peruca azul e um figurino com assinatura do estilista francês Jean Paul Gaultier que incluía uma t-shirt preta transparente que lhe deixava o peito à vista, Madonna cantou, encantou e, com a venda de fotografias, como fez nos espetáculos da última digressão, ainda conseguiu angariar 100.000 dólares, quase 84.000 euros, para apoiar o Ali Forney Center e a Haus of US, duas organizações americanas que dinamizam iniciativas de apoio a lésbicas, gays, bissexuais, transsexuais e intersexuais.

Madonna prometeu ainda doar 25.000 dólares, cerca de 21.000 euros, às duas associações. O ator e produtor Zachary Quinto, que a acompanhou no leilão, também se comprometeu com a mesma verba. Horas antes, a cantora tinha apresentado um vídeo, desenvolvido em colaboração com o fotógrafo e diretor criativo português Ricardo Gomes, responsável pela maior parte das fotografias que a intérprete publica nas redes sociais, feito expressamente para as celebrações do orgulho gay em Nova Iorque.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.