A Administração Regional de Saúde (ARS) Lisboa e Vale do Tejo, o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Almada-Seixal e o Hospital Garcia de Orta em Almada decidiram unir esforços para implementar um projeto pioneiro que pretende aumentar o diagnóstico precoce do cancro do cólon e do reto nos dois concelhos e melhorar o acompanhamento dos doentes através da articulação entre cuidados de saúde primários e a unidade hospitalar. Luís Amaro, um dos responsáveis pela implementação do projeto e diretor executivo do ACES Almada-Seixal revela que o objetivo deste projeto assenta numa melhor «articulação de cuidados e processos de comunicação na gestão do cancro do cólon e reto entre o ACES e o Hospital».

«Verificámos que existe uma lacuna ao nível de rastreios oncológicos à população e em particular na área do cancro do cólon e reto e pretendemos alterar esta realidade através da implementação de uma boa prática que promova a deteção e o tratamento adequado da patologia. Queremos ainda desenvolver uma norma baseada num plano de acompanhamento do doente através da partilha de informação entre o hospital e os cuidados de saúde primários, de forma a dar continuidade e apoio ao doente após alta hospitalar», acrescenta o responsável.

O projeto denominado «Contratualização como incentivo a uma Gestão Clínica Integrada no Cancro do Cólon e Reto» integra-se no programa Boas Práticas de Governação, uma iniciativa da Novartis em parceria com a Universidade Nova de Lisboa, que proporciona aos participantes uma oportunidade de acesso a um plano curricular desenvolvido pela universidade e que lhes garante as bases teóricas e o acompanhamento necessário ao desenvolvimento dos projetos.

Este ano, o programa tem como tema «Caminhos para a Articulação» e pretende criar as condições para a implementação de projetos de inovação, «promovendo o desenvolvimento de boas práticas que fomentem uma maior articulação entre os cuidados de saúde primários e hospitalares, que possam trazer melhorias efetivas para o doente», revela ainda fonte do projeto em comunicado. Diariamente, segundo dados de organizações do setor, morrem, em média, em Portugal cerca de 10 pessoas com cancro do intestino.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.