Em 2021, comparativamente a 2019, há uma perda de -79% da procura de casa em Portugal por americanos, que é substituída pelo aumento da procura por holandeses (+24%), luxemburgueses (+22%), alemães (+16%), suíços (+13%) e franceses (+8%). Adicionalmente, verifica-se um crescimento significativo de utilizadores portugueses dos 18-24 anos (+135%) e acima dos 65 anos (+130%) a procurar casa. Os dados são do Imovirtual, Portal imobiliário de referência, que revela um estudo sobre a procura de casa para compra por perfil de utilizador entre 2019 e 2021.

No que diz respeito ao mercado estrangeiro, a procura diminuiu nos últimos três anos, mas ainda assim, em 2021, representa cerca de 16% de todo o tráfego do Imovirtual (face a 23% em 2019). O Brasil (20% dos utilizadores estrangeiros), França (15%), Suíça (10%), Estados Unidos (9%) e Reino Unido (8%) são os países que mais procuraram casa em Portugal em 2021, um top 5 igual a 2020. Já em 2019, o top era encabeçado por Estados Unidos (30%), Brasil (20%), França (10%), Suíça (7%) e Reino Unido (7%).

Porto, Lisboa e Braga são as cidades eleitas pelos estrangeiros. Considerando as principais nacionalidades em 2021, as cidades mais procuradas pelos brasileiros são o Porto (23%), Lisboa (21%) e Braga (19%). Já os franceses procuram mais Braga (20%), Porto (18%) e Lisboa (16%). No caso dos suíços, a preferência é por Braga (20%), Porto (18%) e Faro (12%). Aveiro, Leiria e Setúbal também surgem nas preferências destas nacionalidades.

“É expectável que se verifique uma recuperação do interesse estrangeiro em Portugal. De acordo com dados do Banco de Portugal, o investimento direto estrangeiro em imobiliário tem sido significativo, mantendo um crescimento elevado de 8,2%, ainda que fosse de cerca de 10% em 2019. É também interessante e positivo analisarmos um aumento de interesse pelo mercado nacional por parte de diversos países europeus”, comenta Ricardo Feferbaum, diretor-geral do Imovirtual.

 

Mais jovens e seniores a procurar casa com a pandemia

Há em 2021 um crescimento significativo de utilizadores dos 18-24 anos (+135%) e acima dos 65 anos (+130%) e procurar casa face a 2019. A procura na faixa etária 18-24 estabilizou em 2021 face a 2020, mas aumentou +29% acima dos 65 anos. As faixas etárias dos 55-64 e dos 45-54 também revelam aumentos significativos na procura de casa face a 2019 (+67% e +51%, respetivamente). A tendência mantém-se, ainda que menos intensa, em 2021 face a 2020 (+15% e +23%).

Há um decréscimo na procura de casa nas faixas etárias dos 25-34 (-18%) e dos 35 aos 44 (-22%), face a 2019 e também face a 2020 (-11% e -25%, respetivamente). Ainda assim estas são as categorias que, a nível absoluto, mais procuram casa em todos os anos. No que diz respeito ao género, são as mulheres que mais procuram casa nos três anos, mas o número de homens a procurar aumentou desde 2019 (+9%).

A nível geográfico, Setúbal (-87%) e Faro (-82%) registaram a maior quebra de pessoas a procurar casa face a 2020. A nível global, pessoas localizadas em Lisboa (4.232.086) e Porto (2.122.582) foram as que mais procuraram casa em 2021, seguindo-se Braga (425.337), Coimbra (312.803) e Aveiro (276.152).

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.