Quantas vezes, ao arrumarmos a despensa, o frigorífico ou os armários da cozinha, não nos deparamos com embalagens de alimentos com o prazo de validade expirado há meses ou até mesmo há anos? Quando isso acontecer, não entre em pânico. Há produtos alimentícios que não se estragam e alguns deles são mesmo campeões de longevidade. Se não tem o hábito de cozinhar regularmente em casa, estes são exemplos de ingredientes alimentares que deve privilegiar na sua próxima ida ao supermercado.

1. Massas secas

Versáteis e saborosas, as massas têm grandes benefícios para a saúde, já que auxiliam o organismo a manter-se saudável e cheio de vigor, uma vez que são ricas em carboidratos, nutrientes essenciais para a energia diária de que o nosso organismo necessita. Desde que secas e mantidas em recipientes hermeticamente fechados, estas grandes aliadas da culinária dificilmente perecerão, a não ser que os ácaros as ataquem no armário. Já as massas frescas têm uma vida útil muito curta.

2. Açúcar

Se é dos que só usam apenas metade do pacote de açúcar no café, guarde o restante. A sua validade não expira, seja qual for a sua variedade, mas tem de o manter sempre seco. Considerado um calmante emocional, este alimento favorece a produção de serotonina, a hormona que regula o humor. É também responsável pelo fornecimento da glicose ao corpo, importante para o funcionamento do cérebro, da retina e dos rins. No entanto, o consumo em excesso pode provocar obesidade e diabetes.

3. Leguminosas secas

Excelentes fontes de proteínas vegetais, as leguminosas são compostas por hidratos de carbono complexos, fibras, vitaminas do complexo B e minerais essenciais, como é o caso do potássio, do fósforo, do magnésio, do zinco, do ferro e do cálcio. Estes vegetais secos não contêm água e necessitam, por isso, de serem hidratados antes de serem cozinhados e consumidos. É essa particularidade que lhes confere a sua tão extensa longevidade. Deve acondicioná-los bem para evitar as lagartas.

4. Sal

Intensifica o sabor dos alimentos. Embora não tenha prazo de validade, deve conservá-lo sempre seco, pois a humidade pode gerar bolor. Apesar das propriedades benéficas que tem para o organismo, uma vez que é muito rico em minerais, não deve abusar do seu uso. Ingerido em excesso, pode contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e potenciar a retenção de líquidos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a ingestão de apenas cinco gramas diárias.

5. Amido de milho

Também conhecido como maizena, este hidrato de carbono extraído dos grãos de milho é isento de glúten e não tem sabor nem cheiro. Apresenta-se como um pó fino, suave e de cor branca. É utilizado para fazer ou engrossar molhos, em sopas, em sobremesas, em papas para bebé e em bolos. O amido de milho é um produto 100% natural e não se estraga com o passar do tempo. À semelhança de muitos outros alimentos, deve ser conservado em recipiente fechado num local seco e fresco.

6. Vinagre de vinho branco

É um dos temperos mais usados pelos portugueses. Com benefícios significativos para a saúde devido ao seu conteúdo de ácido acético, o vinagre de vinho branco ajuda a controlar os níveis de açúcar e de colesterol no sangue e o excesso de peso. Este ingrente alimentar, muito popular na cozinha mediterrânica, tem ainda propriedades antimicrobianas, pelo que também há quem o utilize como auxiliar de limpeza, uma vez que é eficaz na remoção de manchas, nódoas e odores.

7. Mel

Utilizado como adoçante natural, o mel é um importante fortalecedor do sistema imunitário. Este alimento produzido pelas abelhas melhora a capacidade digestiva e alivia a prisão de ventre. Tem, ainda, propriedades antisséticas, antioxidantes, antirreumáticas, diuréticas, digestivas, expetorantes e calmantes. O tempo passa por ele sem afetar a sua qualidade. O mel pode cristalizar um pouco no fundo do recipiente mas, se for caso disso, mergulhe o frasco em água quente.

8. Arroz branco

Rico em carboidratos, a sua principal função é fornecer energia ao organismo. De todas as variedades de arroz, esta é, contudo, a menos nutritiva, uma vez que as vitaminas e minerais ficam na casca, que lhe é retirada aquando da sua transformação. Para o país que é considerado o maior consumidor de arroz da Europa, com valores superiores a 15 quilos por pessoa, por ano, a boa notícia é a de que permanecerá sempre perfeito, mês após mês, desde que o conserve seco num local fresco.

9. Xarope de ácer

Adoçante natural com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias é, também, uma alternativa vegan ao mel. O xarope de ácer é rico em minerais essenciais, como o magnésio, o zinco, o cálcio, o cobre e o ferro, sendo por isso nutricionalmente mais interessante que o açúcar. Tem ainda a vantagem de apresentar um valor energético inferior. Tal como o mel, a sua validade não expira, mas pode acontecer que cristalize. Se for o caso, mergulhe o frasco em água quente durante uns minutos.

10. Especiarias

Muito recomendadas pelas propriedades nutricionais que têm, intensificam o sabor dos cozinhados. São, também, um substituto ao sal, como alertam os médicos, sobretudo para quem sofre de hipertensão. As especiarias são, todavia, um caso muito especial. Não expirando a sua validade no verdadeiro sentido do termo, podem ser usadas durante muito tempo, mas vão perdendo o seu sabor e as suas vantagens nutricionais à medida que os meses vão passando, o que acaba por desvirtuar a sua função.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.